Ano novo

 

Governo a conta gotas

Vai vendendo Portugal

Com as meias sola rotas

Chegaremos até ao Natal

 

Que dizer do ano novo

E dum orçamento genial

Veremos como este povo

Chegará até ao carnaval

 

No verão com a canícula

Os termómetros subirão

Torrando-nos a paciência

 

Será uma altura profícua

P’ra desatar ao estaladão

Em estado d’emergência.

publicado por poetazarolho às 18:43 | link do post | comentar