Duodécimos

 

Portugal é uma migalha

No novo mundo global

Mas alimenta gentalha

Com uma pose doutoral

 

Que só aqui tem lugar

Com infinita sapiência

Se tiverem que emigrar

Acaba-se toda a ciência

 

Mas temos que os aturar

Com enorme paciência

Pactuar com decréscimos

 

Por nos andarem a pilhar

E com enorme eficiência

Ir vivendo em duodécimos.

publicado por poetazarolho às 22:21 | link do post | comentar