Sem coração

Sem coração.jpg

Foi o povo ao MEO arena

Para angariar um milhão

Surge uma luta obscena

“Devia ser minha a gestão”

 

É gostosa a gestão do pote

Aquele que contem o mel

A tragédia deu o mote

Mas o espectáculo tem fel

 

Quem partiu, respeitemos

Quem ajudou, acarinhemos

E poupemos na encenação

 

Por todos, o mel não lambemos

Senão nem sequer merecemos

Vir munidos dum coração.

publicado por poetazarolho às 06:53 | link do post | comentar