Outras cartas

Outras cartas.jpg

A verdade é pessoal

E de todo intransmissível

A outros adequa-se mal

Chega a ser inverosímil

 

Nunca foi universal

Pois seria impossível

Ataque desproporcional

Fê-la descer ao risível

 

Aí nasce a pós-verdade

Desta era pós-verdadeira

Para ocultar os valores

 

Das cartas da humanidade

Que nunca se quis inteira

P'ra se rebaixar aos favores.

publicado por poetazarolho às 22:38 | link do post | comentar