Demais

Demais.jpg

Se nada tens p’ra fazer

Descansa lá um bocado

Pois estou aqui a prever

Que tens tudo terminado

 

Tudo o que a seguir vier

Será apenas um retrocesso

Mas se nada te convier

Ficará tudo em processo

 

Nada e tudo ou tudo e nada

Constituem partes iguais

Num processo desigual

 

Desta vida desequilibrada

Onde nada é sempre demais

Se tudo representa afinal.

publicado por poetazarolho às 00:05 | link do post | comentar