Quinta-feira, 26.11.15

Entre bruxas

Entre bruxas.jpg

Em busca do sucesso

Pelas ruas d’amargura

Conheço bem o processo

Gosto amargo que perdura

 

Não fui um predestinado

P’ra esses vôos dourados

O sucesso desejado

Teve contornos frustrados

 

Mas a estrela que me guia

Ainda um dia mudará

E para surpresa minha

 

Pode ser que me sorria

Não apenas a bruxa má

Mas a boa fada madrinha.

publicado por poetazarolho às 06:27 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Terça-feira, 24.11.15

Inversamente

Inversamente.jpg

Inversamente proporcional

À mentira no poder

É a verdade emocional

Que o povo quer conhecer

 

Podemos ou não podemos

Esta realidade inverter

Por aquilo que nós vemos

Não é fácil acontecer

 

Enquanto fôr o dinheiro

O nosso doce patrão

Só escutamos o bandido

 

Com o semelhante em primeiro

Com o poder do coração

Inverteremos este sentido.

publicado por poetazarolho às 06:31 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 20.11.15

Na crista da bala

Na crista da bala.jpg

É nas teias do acaso

E por medida forjado

Ainda dentro do prazo

Que surge o atentado

 

A morte vale milhões

Para o negócio urdido

Assim sobem cotações

A bala dá-lhes sentido

 

Num sentido convergente

Todos clamam vingança

Sem que saibam o segredo

 

Na vulnerabilidade vigente

Vendem-nos a segurança

Após espalharem o medo.

publicado por poetazarolho às 20:15 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 19.11.15

Carrasqueira

Carrasqueira.jpg

Agora vou dissidir

Deste mundo de loucura

Se assim me permitir

Tempo que ainda perdura

 

Procurar uma cabana

Sem cabo nem ligação

Sei que por vezes abana

Mas não será da explosão

 

Num cantinho sem ruído

Onde batata doce existir

Farei uma salada porreira

 

Parece estar decidido

Só não sei quando partir

Mas será prá Carrasqueira.

publicado por poetazarolho às 21:51 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quarta-feira, 18.11.15

Tempestade estelar

Tempestade estelar.jpg

Se essa brisa acabou

Ou estiver a terminar

E se acaso trovejou

Vem tempestade estelar

 

Luzes de rara beleza

Tu verás no firmamento

Mas podes ter a certeza

Que é só por um momento

 

É espectáculo divinal

Ou dirá um leigo qualquer

Que a ciência explicará

 

Para mim é natural

E se a natureza quiser

Tudo isso te mostrará.

publicado por poetazarolho às 23:10 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 17.11.15

Radicalizado

Radicalizado.jpg

Demo foi radicalizado

Permitindo atrocidades

Sob a forma de atentado

Ceifa vidas nas cidades

 

Promessa do paraíso

Foi um negócio interno

Se atingido o objectivo

Poderá deixar o inferno

 

Poderá viver entre nós

Patrocinando explosões

Da primavera ao inverno

 

Esta realidade atroz

Fará parte das contradições

Tendência no mundo moderno.

publicado por poetazarolho às 22:19 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 13.11.15

Geringonças

Geringonça.jpg

Volta ao mundo em 80 dias

É do Centeno por suposto

Está a causar sérias arrelias

Ao primeiro-ministro deposto

 

Nesta que é era do reviralho

Um trio de amigos da onça

Tendo à cabeça um paspalho

Está ao volante da geringonça

 

PREC do século vinte e um

Aos sete ventos apregoado

Após quarenta anos de jejum

 

Aqui d’el rei, poder foi tomado

E a geringonça catrapum, pum

Pàf, pàf, pàf, pàf, estou desolado.

 

publicado por poetazarolho às 22:09 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 12.11.15

Retóricas

Retóricas.jpg

São mestres na retórica

Comunicam as soluções

Esta sua prática teórica

Produz lindas comunicações

 

Surgiu uma etapa histórica

Vem cheia de convicções

Veremos se não é folclórica

Se não defrauda populações

 

Finge sempre acreditar

Em todo o ilusionismo

Tens direito de admissão

 

Bilhete tiveste que pagar

Chega agora o malabarismo

Para completar essa ilusão.

publicado por poetazarolho às 03:26 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 10.11.15

Pàf again

Pàf again.jpg

O terror volta à europa

Culpada foi esta nação

Trio armou-se em tropa

Desapareceu muito milhão

 

Pânico é o sentimento vigente

Após golpe mal intencionado

Certo emigrará muita gente

Antes de tudo ser incendiado

 

Virá mais cedo que tarde

Uma lição assim aprendida

Sem recurso a sermão

 

E enquanto a nação arde

Uma multidão arrependida

Cedo clamará pela coligação.

publicado por poetazarolho às 23:50 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 07.11.15

Mundo maldito

Mundo maldito.jpg

Em pleno século XXI

Há motivos p’ra matar

Eu não encontro nenhum

Que o possa justificar

 

Justifica-se isso sim

O semelhante ajudar

Não importa qual o fim

Todos se podem adaptar

 

Mataremos no entanto

Porque assim está escrito

Porque o mundo é animal

 

Justifica-se outro tanto

Porque no mundo maldito

Coexistem o bem e o mal.

publicado por poetazarolho às 20:18 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Novembro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
15
16
21
22
23
25
27
28
29
30

subscrever feeds

blogs SAPO