Quinta-feira, 28.05.15

Nó cego

Nó cego.jpg

Um engenheiro poeta

Não é poeta engenheiro

Pois o segundo afecta

O que nasceu primeiro

 

O ovo ou a galinha

Uma discussão secular

Um ponto ou uma linha

Discussão subliminar

 

Uma chama que se apaga

Um traço no horizonte

Uma festa a terminar

 

Uma mão que afaga

Um nó cego que afronte

Uma montanha a chorar.

publicado por poetazarolho às 00:16 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 25.05.15

To be mad Max

To be mad Max.jpg

Humanidade imperfeita

Associada à incúria

Viu-se quase desfeita

Nessa estrada da fúria

 

Mad Max apareceu

Coberto de insanidade

Mas não sei que lhe deu

Foi momento de verdade

 

E num flash percebeu

Apesar da incapacidade

De nada lhes valia fugir

 

Para os braços de morfeu

Só o pesadelo da realidade

Os impediria de sucumbir.

publicado por poetazarolho às 21:28 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 23.05.15

Sociedade CMTV

Sociedade CMTV.jpg

Sociedade C M T V

É de faca e alguidar

Regalo para quem vê

E para quem está a dar

 

Até se não fôr em você

Razão maior p’ra regalar

Se não houver quem dê

Sociedade fica a ressacar

 

Depois caem as bombas

Com o aplauso geral

Da plateia em sua casa

 

Outros levam nas trombas

E que não te pareça mal

Se uma sociedade se arrasa.

publicado por poetazarolho às 00:25 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Terça-feira, 19.05.15

Pancadinhas

Pancadinhas.jpg

Teoria da cuspidela

Será muito debatida

A bastonada sem ela

Estará comprometida

 

Mas se acaso cuspiu

Já faz dele outra figura

Aquilo que ninguém viu

Será dúvida que perdura

 

Brandos costumes aqui

À beirinha mar plantados

Por um povo excelente

 

Tanta pancadaria não vi

Nem estamos acostumados

Que dêem pancada na gente.

publicado por poetazarolho às 00:05 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 18.05.15

Deixem o Marquês descansar

Deixem o Marquês descansar.jpg

Acabou à bastonada

No meio de gritaria

A festa saiu estragada

Como há muito se previa

 

Seria a festa encarnada

Do clube da maioria

Mas foi a cabeça rachada

Que de encarnado a tingia

 

Toca tudo a mexer

Marquês quer descansar

Não pediu p’ra ir à bola

 

Nem que o viessem ver

Muito menos práqui gritar

Uns maluquinhos da tola.

publicado por poetazarolho às 23:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 17.05.15

Cara ou coroa

Cara ou coroa.jpg

Demónio anda à solta

Exorcizá-lo é preciso

Volta e meia ele volta

Senhores tenham juízo

 

Ele está no meio de nós

Pertença da criação

Confere destino atroz

A quem lhe deita a mão

 

Livre escolha deve haver

Por meio da inteligência

Entre ascensão ou queda

 

Nenhum lado deves temer

Pois eles são por inerência

As faces da tua moeda.

publicado por poetazarolho às 16:17 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 05.05.15

Nesta terra

Nesta terra.jpg

Há um embrulho na ponte

E há um povo embrulhado

Houve a oferta dum monte

Um ofertante engavetado

 

Outros nem no horizonte

Pois estão em outro lado

Não vejo quem os afronte

Apenas seu ego elogiado

 

Tamos fartos de embrulhos

Lindos laços com enfeites

Cobertos por papel doirado

 

Nesta terra de engulhos

Não importa onde te deites

Acordas sempre roubado.

publicado por poetazarolho às 22:48 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Maio 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
20
21
22
24
26
27
29
30
31

subscrever feeds

blogs SAPO