Sábado, 31.01.15

Olha a solidariedade

Olha a solidariedade.jpg

A vã solidariedade

Escutada como pregão

Não existe na sociedade

Nem de nação p’ra nação

 

Existe a necessidade

De humilhar o irmão

P’ra sentir superioridade

Quando superiores não são

 

Esterco da humanidade

Expoentes na humilhação

São insensíveis aos demais

 

Que vivem em ansiedade

E a todo o custo tentarão

Não ser danos colaterais.

publicado por poetazarolho às 21:20 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 27.01.15

The show must go on

The show must go on.jpg

Quero ter um milhão

Para ser um milionário

Tu ficas com um tostão

Para o teu gasto diário

 

Mas que grande sensação

Chamam-me até visionário

Tu ficas com teu quinhão

Que se apelida de salário

 

E assim vamos vivendo

Na sociedade progresso

Sem necessidade de amor

 

Maioria em nada tendo

Tem direito a um ingresso

No espectáculo do terror.

publicado por poetazarolho às 22:53 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 26.01.15

Yanis

Yanis.jpg

Yanis Varoufakis é

Um marxista errático

Se nadar fora de pé

Um colete será prático

 

Camisa de onze varas

Já ele a tem garantida

E outras modas raras

São diagnóstico à partida

 

À chegada se saberá

A destreza desta via

Para conduzir o povo

 

Que alguém os boicotará

Há muito que se sabia

Essa é a regra do jogo.

publicado por poetazarolho às 23:05 | link do post | comentar

A cereja

A cereja.jpg

François eu conheci

Europa era mudança

Hollande pequeno vi

Assassinar a esperança

 

De grego me travesti

Esta é minha vingança

Sim François é para ti

A Alexis concedo a dança

 

Roucos de tanto gritar

Logo a mudança se fará

Tal com outras que tais

 

Alexis em François irá dar

E logo o povo gritará

As mudanças nunca mais.

publicado por poetazarolho às 00:08 | link do post | comentar
Domingo, 25.01.15

Contaminação

Contaminação.jpg

Berço da democracia

Ilumina a escuridão

Que se produz dia a dia

E escurece o coração

 

Dos povos sem alegria

Tal e qual hoje estão

Mercê da cacofonia

Que leva à distorção

 

Dos sons da harmonia

Que jamais se escutarão

Pois ninguém imaginaria

 

O destino da revolução

E tudo o que produziria

Fosse mera contaminação.

publicado por poetazarolho às 21:18 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 23.01.15

Absolvição

Absolvição.jpg

Faces da mesma moeda

Diferentes por definição

Se uma estiver em queda

Pode ser que a outra não

 

Se uma cometer pecado

A outra terá a absolvição

Se uma acerta no mercado

A outra é pura intuição

 

Energias contraditórias

Cunhadas no mesmo metal

Justificam todos os actos

 

Logo manobras delatórias

Submetem o bem ao mal

Absolvem Pôncio Pilatos.

publicado por poetazarolho às 22:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 12.01.15

Eclipse

Eclipse.jpg

Defender a liberdade

Com arame farpado

Construir a igualdade

Com a lei do mercado

 

Praticar a fraternidade

Num círculo fechado

Assim nasce a sociedade

Dum pesadelo sonhado

 

Somando a austeridade

Temos o caldo entornado

Onde reina a confusão

 

Evocando a divindade

Cada um se faz soldado

Matando por essa razão.

publicado por poetazarolho às 00:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 10.01.15

Aux Champs Elysées

Aux Champs Elysées.jpg

N’avenida vai ocorrer

Silenciosa manifestação

Foram muitos a morrer

Para originar a reacção

 

De todos os governantes

Deste mundo e arredores

Tudo ficará como dantes

Virão os novos horrores

 

Programados a preceito

P’ra deleite da multidão

Que em directo assistirá

 

Compete ao governo eleito

Assegurar a programação

Que mais votos lhe trará.

publicado por poetazarolho às 20:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 07.01.15

Charlie Hebdo

Charlie Hebdo.jpg

Charlie assassinado

Numa rua de Paris

Profeta está vingado

Deus algum assim quis

 

Foi obra da podridão

Um acto de bestialidade

Um choque p’rá multidão

Nódoa na humanidade

 

Que corrói as entranhas

Da sua própria existência

Condenada a cada momento

 

Mas que por artes estranhas

Não procura na sua essência

Razões p’ra cada acto nojento.

publicado por poetazarolho às 22:16 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 01.01.15

Caminho do regime

Caminho do regime.jpg

Que este é o caminho

Que outro não haverá

No discurso não alinho

Mas outro discurso não há

 

Parece o disco riscado

Com o discurso já caduco

Duma fábula do passado

Muita parra e pouco suco

 

Assim vamos caminhando

P’la via dum só sentido

Única que nos salvará

 

Mesmo não acreditando

Tudo o resto está perdido

Quem se afastar morrerá.

publicado por poetazarolho às 18:59 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Janeiro 2015

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
28
29
30

subscrever feeds

blogs SAPO