Terça-feira, 29.01.13

Partidarização

 

Dos ideais da revolução

Só os de Março ficaram

Rasgaram a constituição

Ditadura amplificaram

 

A esta nova escravidão

Só uns poucos escaparam

Mentores da partidarização

Este sistema edificaram

 

Para gáudio dos iluminados

Que sempre nos enganaram

Mas que saíram enganados

 

Pois sempre subestimaram

O poder dos esfomeados

Da fome que eles criaram.

publicado por poetazarolho às 22:20 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Domingo, 27.01.13

Múmia

 

Justiça dos sacrifícios

É dúvida do orçamento

Múmias para os egípcios

Subiam ao firmamento

 

Levavam o seu tesouro

Para as portas franquear

Rubis, diamantes e ouro

Não se iriam sacrificar

 

Ser múmia ou português

Uma questão importante

És múmia passas ao lado

 

Dos sacrifícios de vez

Português é insignificante

E em vida é sacrificado.

publicado por poetazarolho às 23:20 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Sexta-feira, 25.01.13

Mercado sem povo

 

Toquem sinos a rebate

Que já fomos ao mercado

Não preciso de resgate

P’ra comprar o pescado

 

É a moral deste país

Que precisa ser resgatada

Mas isso ninguém diz

Pois está envenenada

 

O povo já não interessa

Só interessa a finança

Em catadupas d’informação

 

Mas depois ninguém peça

Que ao sentir vazia a pança

Não se dê uma explosão.

publicado por poetazarolho às 20:24 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 22.01.13

Rosa choque

 

Não quero almas penadas

Na puta da minha vida

Ou outras cenas maradas

Como substância proibida

 

Nem amores descartáveis

Plenos de falsas ilusões

Ou bonecas insufláveis

Para aliviar as tensões

 

Quero apenas essa rosa

Que floriu no teu jardim

Esse amor que perdura

 

Essa forma tão fogosa

De te exibires para mim

Num bailado de loucura.

publicado por poetazarolho às 22:55 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Segunda-feira, 21.01.13

Tentação

 

Em duodécimos é fixe

O subsídio receber

Sr.ministro não me lixe

Eu não estou a perceber

 

O senhor vai adiantar

Parcela da remuneração

Para depois nos roubar

E não quer ser ladrão

 

Como lhe iremos chamar

Depois desta contradição

Quando tudo vai levar...

 

Pois é a bem da nação

E também pr’a nos salvar

Que o consumo é tentação.

publicado por poetazarolho às 01:16 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 18.01.13

Alerta laranja

 

Está laranja especial

Alerta em todo o país

Por causa do temporal

Tenho pingo no nariz

 

Muito forte ventania

Assola toda a região

Mas isto já se previa

Só falta vir a monção

 

Qu’os deuses ensaiam

Para varrer o que falta

Será a grande enxurrada

 

Por isso não se distraiam

Se estou a avisar a malta

A malta já está avisada.

publicado por poetazarolho às 20:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 16.01.13

Previsões

 

As previsões d’outono

É que me puseram assim

Cortaram-me no abono

Já não chega para mim

 

As previsões de verão

Com temperatura elevada

Prometem muita recessão

Desata tudo à chapada

 

Lá mais para o inverno

Deste mar de previsões

Vejo a coisa muito bera

 

Para sair deste inferno

Prevejo na rua os canhões

E uma nova primavera.

publicado por poetazarolho às 19:44 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 14.01.13

Zé pobrezinho

 

Austeridade gradual

Veneno aos bocadinhos

É uma receita desleal

Não mata os coitadinhos

 

Dentro do expectável

Está a nossa recessão

Um pouco desagradável

Mas é a única solução

 

No país intervencionado

Está muito difícil viver

Tem que haver reacção

 

Neste país aqui plantado

A solução não é morrer

Mas morreu a revolução.

publicado por poetazarolho às 23:08 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 12.01.13

Sessões contínuas

 

Holofotes da ribalta

São a grande tentação

Estão a ofuscar a malta

Que logo perde a noção

 

Por mais que se retrate

Sobre tudo vale opinar

No reino do disparate

Para a fama alcançar

 

E para à fama fazer juz

Sem dever à inteligência

Qualquer disparate produz

 

Uma onda de indignação

Sem qualquer consequência

E logo começa outra sessão.

publicado por poetazarolho às 21:11 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 09.01.13

Esta gente

 

A orgia do poder

Foi de tal dimensão

Acabaram por esquecer

Ser filhos de quem são

 

Mas que gente é esta

Que está à frente da gente

Será gente que não presta

Ou será gente doente

 

Que encaixa na perfeição

Neste tempo miserável

Em que tentamos viver

 

Só abraça esta missão

Gente assim tão execrável

Que prefere ver-nos morrer.

publicado por poetazarolho às 23:54 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Janeiro 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
17
19
20
23
24
26
28
30
31

subscrever feeds

blogs SAPO