Quinta-feira, 29.09.11

Culpa zero


Não há desculpa pr’á culpa
Pr’á culpa não há culpados
Para nada serve a desculpa
Podem seguir estão ilibados

E a culpa morreu solteira
Sem deixar descendência
A vida passou a ser porreira
Acabou a má consciência

Assim é muito fácil viver
Por conta do orçamento
Que não nos custa a ganhar

Agora vamos lá a saber
Para quê todo esse lamento
Se é certo que nos vamos safar.
publicado por poetazarolho às 15:06 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 26.09.11

Às de ouros


Até a América anda assustada
Com a Europa aos trambolhões
Mas já pode dormir descansada
Vem aí um plano de milhões

Crise do euro será estancada
Vão ser afastados esses papões
Confiança vai ser restaurada
Por via das recapitalizações

Será jogada a derradeira cartada
Perdedores voltam pr’os mouros
Aos vencedores a glória infinita

Carta há muito estava guardada
É enorme o peso deste às de ouros
E neste casino a banca já se agita.
publicado por poetazarolho às 14:32 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 23.09.11

Saldo positivo


O João tinha um buraco
Mas o Alberto não sabia
Nem sequer o Cavaco
E mais vinte ninguém via

Mas um dia aqui d’el Rei
Santa Bárbara dos aflitos
Do buraco tamanho não sei
Cabem lá uns cubanitos

Vamos todos contribuir
Para este buraco tapar
Cada um dá três pazadas

Com jeitinho p’ra não partir
A espinha a quem as levar
E as contas ficam saldadas.
publicado por poetazarolho às 11:42 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 21.09.11

Gulosos


O Santana sabe demais
Se ele diz vai ser assim
Só há um que sabe mais
De seu nome, Jardim

E neste jardim Portugal
Há muita flor desta raça
Se a Madeira é um bananal
O continente a ultrapassa

A culpa não é de ninguém
Mas de todos sim senhor
Sabe bem encher a mula

O dinheiro donde provém?
Não interessa Sr. Doutor,
Satisfaça lá a sua gula!
publicado por poetazarolho às 14:41 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 20.09.11

Causa raíz


Está a morrer muita gente
Que nunca tinha morrido
Já antes teria acontecido?
Ficou a dúvida premente

Juntou-se grupo de peritos
Para o assunto escalpelizar
Conclusão havia de chegar
Mas ainda se viram aflitos

Estudaram até à exaustão
Uma amostra da população
Consultaram alguns arquivos

Após tratar toda a informação
Chegaram a uma conclusão
Acontece porque estão vivos.
publicado por poetazarolho às 14:03 | link do post | comentar
Segunda-feira, 19.09.11

Antidepressivo


Não existe direito ao amor
Nesta mudança civilizacional
Que a tragédia parece propôr
Em troca do valor tradicional

Verdade está morta e enterrada
A fraternidade já desapareceu
A justiça não conta pr’a nada
E o respeito há muito adoeceu

A mentira, o roubo e a paulada
Novos valores que se levantam
E o sistema mole e permissivo

Oferece uma noite na esquadra
Bebes bem e ainda te alimentam
E tens direito ao antidepressivo.
publicado por poetazarolho às 16:01 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Domingo, 18.09.11

Cromos


Havia os cromos da bola
Quando eu era pequenino
Hoje há cromos sem destino
Aparece com cada estarola

Há cromos com veia política
São de uma eficiência total
Vocês não me levem a mal
Esta é a minha veia crítica

Conduzem-nos até ao futuro
Com uma mestria duvidosa
Para nos iludir é só treta

Obter os mais difíceis é duro
Trabalho de forma laboriosa
Pr’a completar a caderneta.
publicado por poetazarolho às 15:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sábado, 17.09.11

Archotes


Óh meus caros senhores
Eu não admito confusões
Na Madeira há aldrabões
Mas não aqui nos Açores

Na Madeira existe o buraco
Nós aqui só temos o Pico
O que avisto é magnífico
Vejo o mundo num caco

Sob o garrote d’austeridade
O povo com archotes na mão
Para o caminho iluminar

Subiu tanto a electricidade
Que esta era a única solução
Pr’a idade das trevas afastar.
publicado por poetazarolho às 14:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 16.09.11

The big banana


A Madeira é um jardim
Fica no centro do mundo
Deste mundo agora imundo
Primeira página de pasquim

Em Nova Iorque foi notícia
Plo enorme buraco financeiro
Na grande maçã do dinheiro
É já um em caso de polícia

Mas a maçã está bichada
Tem Wall Street a afundar
A Madeira promete ajudar

Enviando bananas prá salada
Mundo da finança irá apreciar
Esforço da banana pra nos salvar.
publicado por poetazarolho às 15:46 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 14.09.11

Resgates


Foi o resgate a Portugal
A seguir é o da Madeira
Isto até não vai nada mal
A continuar desta maneira

Resgatam depois o Alentejo
Em seguida Trás-os-Montes
Segue-se-lhe o Ribatejo
Isto sei de outras fontes

Capital tem resgate previsto
E a minha aldeia também
Mas não estará terminado

Vão resgatar o Sr.Evaristo
D.Josefina o resgate obtém
No final serei eu o resgatado.
publicado por poetazarolho às 10:15 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Favorito

mais sobre mim

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

Setembro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
15
22
24
25
27
28
30

subscrever feeds

blogs SAPO